Escola

CLIQUE AQUI PARA VISITAR O NOSSO SITE OFICIAL

Endereço e contatos:

UNIDADE I - Rua. Tab. Eurydice de Barros Esteves, 156, Mangabeira I, João Pessoa, Paraíba 58055-450, Brasil

Contatos:
Oi (83)98740-2530 (WhatsApp)
Tim (83)99966-6875
Claro (83)99102-3221
Vivo (83)98101-7208

Sobre o fundador... Visite as redes sociais do Prof. Elvis Chaves...

E-mail: profelvischaves@yahoo.com.br
Blog
Site oficial
Facebook
Google+

YouTube

Use o GPS:


FAÇA SUA BUSCA NO BLOG AQUI

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Condições ideais para se aprender música.


O Teclado tem se tornado um instrumento acessível. Com o avanço da tecnologia, os modelos ficaram tão diversificados quanto à faixa de preço, o que fez com que o Curso de Teclado se tornasse um dos preferidos dos iniciantes na arte da música. É um instrumento que permite ao aprendiz da música um universo muito diversificado.

Há, basicamente, dois tipos de Teclados: o Arranjador (o nosso instrumento de estudo), que possuem acompanhamento automático programável e os Sintetizadores, sem acompanhamento. O Arranjador é muito utilizado por músicos que atuam sozinhos em eventos, festas e apresentações solo, por exemplo. São verdadeiros computadores, instrumentos com recursos bastante avançados que oferecem uma grande variedade de timbres e ritmos. Já os sintetizadores são bem simples.

Embora não substitua um piano, o teclado acabou sendo uma alternativa para quem sonhava em ter um. É um instrumento muito importante para a música moderna. Principalmente pela sua capacidade de incorporar o timbre de outros instrumentos e dotados de uma capacidade tecnológica incrível. O músico que domina a tecnologia – além da técnica – tende a ser muito valorizado no mercado.

Quando resolvi preparar esse curso me preocupei em selecionar as lições teóricas específicas para Teclado. Este método é uma chance excelente para você que começou agora e que pensava que nunca iria aprender a tocar Teclado. Mas vamos esclarecer uma coisa: nesta Apostila existe conteúdo suficiente para anos de estudo, portanto não pense que você vai sair tocando após “dar uma lida” na mesma. Você deve se dedicar.

Tocar, por assim dizer não é difícil, mas requer dedicação, estudo e força de vontade. O futuro tecladista deve ter em mente que estudar diariamente é mais do que necessário, é vital. Além disso, é necessário controlar a ansiedade. Antes de decorar alguns acordes e sair tocando “de ouvido” tente aprender e entender como funciona a música. Agindo assim, garanto que, futuramente, você vai perceber o quanto foi bom passar horas e horas estudando, treinando, repetindo as teorias e os exercícios.

Aprender a tocar um instrumento como o teclado não é fácil para a maioria das pessoas, pode levar meses, e até anos, para que você tenha um domínio das habilidades necessárias que, só virão com o tempo e a pratica. Seja persistente e tenha paciência consigo mesmo. Esse Curso foi planejado para ajudá-lo a aprender passo a passo. Use o tempo que for necessário para sentir-se a vontade com um procedimento antes de passar para o seguinte. Não tenha pressa, a ansiedade pode ser uma inimiga no início do seu treinamento.

Você está prestes a iniciar um curso básico, que apenas está abrindo seu horizonte para um universo de possibilidades. Cabe a você estudar e tirar o máximo proveito dele. Procure dar o melhor de se mesmo, a música vai exigir isso de você em todos os momentos de sua formação.

Quando decidimos aprender a tocar um instrumento musical, temos que tomar algumas decisões que nos parecem complicadas, entretanto, estamos adentrando em uma área do conhecimento que, como calouros, desconhecemos. Então, para a formação de um músico tecladista amador ou profissional, são necessários alguns pré-requisitos básico. Eis aqui algumas sugestões que o ajudarão a fazer o curso com melhor aproveitamento:

Vocação

 Cada pessoa traz consigo determinadas aptidões: para ciências exatas, humanas, esportes, poesia, dança, etc. Para a música, costume-se dizer que “fulano tem ouvido para música”. Isto significa certa facilidade em distinguir uma nota musical da outra, ser afinado, ter noção de ritmo, coordenação motora e potencial para desenvolver estas habilidades.

Querer aprender... Não basta apenas ter vocação, é preciso que o aprendiz (a) queira aprender realmente, seja interessado e se esforce. Quantas pessoas conhecemos que têm verdadeira vocação para medicina, engenharia, por exemplo, mas não são persistentes o suficiente para completar os estudos? Com a música é a mesma coisa.

Ter um bom Mestre (Professor)

O professor é a peça fundamental do processo de formação musical. Ele será a fonte do conhecimento e dos exemplos práticos, responsável pelos exercícios, dicas e técnicas. O aluno deve ser um imitador aperfeiçoado do mestre.

Estudar

Teoria musical, divisão rítmica, fazer pesquisas independentes e buscar construir seu próprio repertório.

Disciplina

Uma boa disciplina suporta o tempo de treino que um músico precisa ter. Tempo é preciso, e o músico deve aproveitá-lo investindo, disciplinadamente, no treino e no estudo. É característica da música, assim como tudo na vida, a disciplina e a vontade de aprender. Para ser um simples tecladista, é preciso treinar, no mínimo, uma hora por dia. Como você quer ser um excelente, multiplique essa uma hora por fatores na base 10.

Paciência e Concentração

Não se aprende a tocar um instrumento da noite para o dia. Um bom músico é resultado de anos de estudo e dedicação. Se você tem pouco tempo de estudo, ainda não se ache autossuficiente. Você vai sempre encontrar outros tecladistas melhores que você, cujo segredo está na muita vontade de comunicar-se pela música. Tenha paciência, pois sua vez chegará!

Aprofundamento

Não adianta comprar o melhor instrumento, possuir uma biblioteca musical dentro de casa, frequentar uma boa escola de música, treinar horas por dia, se não tiver dentro de si o desejo de aprofundar todo conhecimento aprendido. Importante é começar, difícil é continuar; gratificante é aprofundar.

Ambiente

Um ambiente tranquilo e acolhedor, longe de qualquer barulho e conversa, é ideal para uma boa aprendizagem. O músico precisa desenvolver um ouvido afinado, para isso a concentração é fundamental. Qualquer barulho desagradável ou impróprio faz perder o som de uma nota ou de um acorde que estava em mente. Às vezes, é preciso voltar ao início de tudo, começar do zero, para conseguir aquela sequência harmônica que se estava criando. Se você for trabalhar uma música quer solando ou cifrando, compondo ou arranjando, livre-se de tudo aquilo que tira a concentração, e esteja envolvido em um ambiente profundamente inspirador.

Versatilidade

O músico não deve limitar-se a um estilo, forma, andamento, ritmo. Deve ouvir tudo, aprender tudo e tirar proveito de tudo. Os diversos ritmos (samba, reggae, blues, rock, jazz, sertanejo, country, gospel) apresentam estilos diferentes e refletem diversidade cultural. O ouvido precisa ouvir, apreciar, acostumar e aceitar todos esses estilos. Cada modalidade rítmica se compõe de arranjo, interpretação e sensação diferente, e é isso que o ouvido precisa perceber para conseguir uma boa afinação. Para se adquirir um ouvido bem afinado, o músico não deve limitar-se a um ou dois estilos musicais. A variedade rítmica, por mais simples que seja, torna a melodia agradável. Se possível procure estudar todos os gostos e estilos musicais, entendendo conceitos básicos como efeito harmônico, introdução, arranjos, ataques, finalizações etc.

Técnica

Todo instrumentista precisa preocupar-se com a técnica: postura corporal, posi-cionamento dos dedos etc. A ordem dos dedos e a velocidade na execução são imprescindíveis para o desenvolvimento técnico do aluno. Tocar ou prender teclas de qualquer maneira solidifi-cam vícios, induzem ao erro e comprometem o desenvolvimento do tecladista.



Tudo é questão de prática

Tudo é questão de prática! Um Estudo teórico de música sem prática de nada adianta. O tempo determinado para a prática de um instrumento musical precisa ser rigorosamente concentrado. É durante esse treino que o ouvido começa a desenvolver a afinação. Então pratique bastante... A prática dos exercícios e do repertório (repetição) desenvolve a coordenação motora. Quando tocamos uma música, além de usarmos as duas mãos de modo di-ferente, simultaneamente, temos ainda o controle do teclado. São dezenas de botões, teclas, luzes de painel que definem os sons, ritmos, efeitos, volume, entre outros. Os grandes músicos praticam no mínimo quatro horas diariamente. A prática é o ponto alto do desenvolvimento do aluno. Estudar música sem praticá-la não gera o resultado esperado. O tempo dedicado à prática de um instrumento musical precisa ser levado a sério, porque é a hora que mais o ouvido desenvolve sua afinação.

Siga nossas dicas:

  • Reserve um tempo diário para executar suas atividades musicais (de 15 à 50 minutos).
  • Evite ruídos que nada tenham a ver com o que você está praticando. 
  • Faça digitação (Escalas) na ordem ascendente e descendente, faça alongamentos. 
  • Se você quer executar alguma música, pela primeira vez, leia a partitura várias vezes e, se possível, ouça-a algumas vezes e veja onde estão as partes mais difíceis.
  • Procure sentir as notas fortes nos tempos fortes e defina como praticar.
  • Procure ouvir bem o som do teclado, separando-o dos demais instrumentos.
  • Procure sentir a tônica, ou seja, o tom chave da música para você ter um referencial.
  • Ao sentar-se no instrumento e colocar os dedos no teclado, afaste o banco um pouco para trás o suficiente para que os cotovelos fiquem ligeiramente dobrados.
  • Sente-se no centro do banco, diretamente em frente ao meio do teclado.
  • Sente-se na parte anterior do banco, com as costas retas e o peso para frente.
  • Repouse os pés no chão.
  • Sente-se confortavelmente, mantendo boa postura.
  • Certifique-se que há boa iluminação para que você veja a partitura e o teclado.
  • Fique em pé quando estiver desconfortável ou cansado da postura ou dos exercícios. O treino musical é muito exaustivo, pois exige muita concentração. Deixe as mãos penderem ao lado do corpo e relaxe-as. Observe a curvatura natural delas, como se segurassem uma bola. Ao sentar-se novamente, coloque os dedos no teclado, mantendo a mesma curvatura natural.
  • Posicione as mãos sobre o teclado, deixando os dedos encostarem próximos ao centro da parte grande nas teclas brancas. Mantenha as palmas das mãos acima do teclado.
  • Toque a tecla com a polpa dos dedos (região logo abaixo da ponta dos dedos). Mantenha os dedos curvados, levantando-os a partir da articulação das falanges. Ao tocar as teclas, mantenha as articulações dobradas e exagere na força.
  
Postura correta
 Possuir um instrumento

Sem este, o músico não pode estudar e, consequentemente, mostrar os resultados do seu trabalho.

Siga a ordem do curso

Este curso foi organizado para que se aprendam conceitos em uma progressão lógica. Ainda que você já compreenda um certo conceito, revise-o e faça os exercícios práticos.

Tentar dominar cada um dos conceitos e técnicas antes de prosseguir

Exercite cada técnica até sentir que a domina. Caso alguma lhe pareça muito difícil, faça o melhor possível e siga em frente. É melhor concluir o curso do que interrompê-lo devido às dificuldades com um ou dois conceitos. Com paciência e treino, você acabara por dominar todas as técnicas.

Seguir todas as instruções dos exercícios

Elas o ajudarão a aprender as técnicas com mais rapidez.

Utilizar os recursos à sua disposição


Cartilha Musical, o Teclado, Lições de Teoria, as Músicas (Partituras) e o Professor são recursos importantes para o bom desempenho no curso.

Utilizar o repertório padrão do método... Familiarize-se bem com as músicas (Partituras) e tenha sempre um exemplar consigo ao estudar.

Utilizar as técnicas enquanto as aprende...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Loading...