Escola

CLIQUE AQUI PARA VISITAR O NOSSO SITE OFICIAL

Endereço e contatos:

UNIDADE I - Rua. Tab. Eurydice de Barros Esteves, 156, Mangabeira I, João Pessoa, Paraíba 58055-450, Brasil

Contatos:
Oi (83)98740-2530 (WhatsApp)
Tim (83)99966-6875
Claro (83)99102-3221
Vivo (83)98101-7208

Sobre o fundador... Visite as redes sociais do Prof. Elvis Chaves...

E-mail: profelvischaves@yahoo.com.br
Blog
Site oficial
Facebook
Google+

YouTube

Use o GPS:


FAÇA SUA BUSCA NO BLOG AQUI

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Dedilhado.

A ideia dos iniciantes sobre o dedilhado se divide em: 

1) Ou existe um padrão estabelecido, e os mesmos dedos são usados sempre nas mesmas teclas. 

2) Ou não existe regra alguma, cabendo aos músicos uma escolha livre. 

A verdade é: 

Não acontece nem uma coisa nem outra. 

As teclas NÃO são sempre atacadas com os mesmos dedos porque isso inviabilizaria a maioria das melodias. Só o desencontro entre os 5 dedos e as 7 notas já é suficiente para abandonarmos essa idéia. 

Podemos dizer que a escolha é livre, já que o músico não está obrigado a usar um determinado dedilhado. Mas a escolha é feita dentro de um quadro de possibilidades amplamente conhecido. 

É esse quadro de possibilidades que o treino das escalas e arpejos dá. 

Afinal, é treinando as escalas que aprendemos a passagem dos dedos, a distribuir os ataques pelos dedos sem repetir o mesmo seguidamente, a iniciar uma frase com o dedo adequado, e por aí vai. E esse mesmo papel é cumprido pelo treino do arpejos, quando a execução não se refere à teclas próximas. 

Depois disso, podemos dizer que o músico vai "escolher" o dedilhado. Essa escolha será feita em função do objetivo mais importante desse assunto: A continuidade do gesto, que resulta na continuidade interna da frase musical. Cada frase exige uma continuidade que NÃO pode ser quebrada. Isso significa que o começo, o meio e o fim das frases têm de ser executados com clareza, sem quebras. Se houver uma quebra, o resultado será um novo início, e uma divisão da frase em partes desconexas. 

A intenção principal que o músico tem ao escolher um dedilhado é que ele proporcione a fluidez necessária ao gesto, para que a frase saia com continuidade. 

No início, você deve seguir as indicações do professor, imitando os dedilhados que ele usa. Depois, quando você já souber ler partituras, poderá seguir as sugestões que muitos editores dão nas suas publicações. Com o passar do tempo, depois de ter assimilado muitos dedilhados, você também poderá escolher o mais adequado para a melodia que estiver tocando. Isso acontecerá naturalmente. 

Você pode se perguntar:

"E por onde eu começo?" 

Naturalmente a resposta é: imitando um professor.

O dedilhado no teclado compõem uma parte muito importante para sua formação como tecladista. Existem regras e instruções para uma correta postura dos dedos no teclado. Aprenda corretamente a utilizar o dedilhado e, como consequência, você terá uma base para desenvolver uma boa técnica. A forma como você moverá as suas mãos e quais os dedos utilizará irá afetar todo o resultado final. Se por exemplo estiver a usar só dois dedos com notas distanciadas, isso irá resultar em transições pouco suaves.

Geralmente, para instrumentos de teclado, utilizar-se esse padrão de numeração dos dedos:


 Algumas dicas gerais sobre como posicionar a sua mão e utilizar os seus dedos. Eis aqui+ algumas regras de ouro:
  • Não utilize exclusivamente o seu dedo 2, o indicador (óbvio);
  • Inclua todos os dedos, isto faz o movimento da mão ser mais suave e rápido;
  • Na maior parte das situações deve evitar tocar as teclas pretas com o seu 1, o polegar.
Aprenda a tocar sem olhar para o teclado

A maioria das pessoas mais cedo ou mais tarde aprenderão a ler partituras. O desafio de ler as notas é muitas vezes sobrevalorizado, entretanto, o desafio real é ler e tocar em simultâneo. A única forma de ler e tocar ao mesmo tempo é não olhar para o teclado. Quanto mais notas a partitura tiver menos tempo tem para olhar para o teclado sem perder o tempo da música. Isto é algo que leva tempo para adquirir, mas uma forma importante para conseguir isto é posicionar as suas mãos corretamente e utilizar um dedilhado. Se você usar corretamente os dedos, não terá de mudar a posição da sua mão tantas vezes, ou dar “saltos” grandes com o mesmo dedo.

A prática correta

O dedilhado consiste em decidir qual combinação de dedos deve ser utilizada para se tocar um grupo de notas. O objetivo do dedilhado é escolher combinações naturais de dedos. O bom dedilhado reduz a necessidade de esticar muito ou cruzar os dedos, ajudando para que se toque mais suave e veloz. Ao se usar um bom dedilhado, a mão estará equilibrada, dando bom controle sobre os dedos.

Em alguns trechos musicais as notas estão distribuídas de maneira conveniente para os dedos. Elas se movem dentro de um limite de espaço reduzido e parece sempre haver o mesmo número de notas do que o de dedos para tocá-las. Você pode tocar esses trechos sem necessitar de complicadas combinações de dedos ou de trocar a posição da mão de um lado para outro do teclado. Outros trechos são muito mais difíceis de se tocar, exigindo “dedos acrobáticos” e muitas trocas de posição das mãos. Nesses trechos não há dedos suficientes para tocar todas as notas a menos que se toque uma nota de maneira estratégica, com um dedo que permita a mão mudar de posição, deixando outros disponíveis para tocar as notas seguintes. Pode ser necessário cruzar o polegar sob os outros dedos ou os demais dedos por sobre o polegar. Pode-se tocar uma tecla com um dedo e, enquanto se mantém a tecla abaixada, trocar o dedo na tecla.

Quer o trecho seja fácil ou difícil de se tocar, o bom dedilhado e sempre é importante.

Texto adaptado.
Texto original: Felipe Scagliusi

Assista também:


Acesse também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Loading...