Escola

CLIQUE AQUI PARA VISITAR O NOSSO SITE OFICIAL

Endereço e contatos:

UNIDADE I - Rua. Tab. Eurydice de Barros Esteves, 156, Mangabeira I, João Pessoa, Paraíba 58055-450, Brasil

Contatos:
Oi (83)98740-2530 (WhatsApp)
Tim (83)99966-6875
Claro (83)99102-3221
Vivo (83)98101-7208

Sobre o fundador... Visite as redes sociais do Prof. Elvis Chaves...

E-mail: profelvischaves@yahoo.com.br
Blog
Site oficial
Facebook
Google+

YouTube

Use o GPS:


FAÇA SUA BUSCA NO BLOG AQUI

domingo, 2 de outubro de 2016

Piano e teclado eletrônico, semelhanças e diferenças

Apesar do piano ser um instrumento de teclas, ele é considerado também um instrumento de cordas, pois o som que é produzido pelo instrumento vem de cordas esticadas e presas em uma estrutura de madeira ou metal. As teclas brancas e pretas do piano comandam os martelos que tocam essas cordas.

A primeira menção de piano que se tem registro é por volta do ano 1711. Depois de muitos aperfeiçoamentos, o piano foi sendo reformado até se chegar no modelo de piano que conhecemos hoje. Além da sua utilização para performance solo, o piano ganhou destaque também na música ocidental e no jazz. É considerado um instrumento excelente para a composição, devido à ampla gama de vozes e acompanhamentos possíveis de se produzir com as duas mãos do pianista. A organização das teclas colabora também para o estudo de teoria musical. Esses e outros fatores fizeram do piano um dos instrumentos mais conhecidos do mundo.

Além do piano acústico, com a invenção da eletrônica surgiu o chamado piano digital. Esse piano é diferente dos teclados por simular a sensação das teclas e o som dos pianos acústicos.

Os pianos acústicos podem ser subdivididos em piano de cauda e piano vertical (ou piano armário). No piano de cauda, a armação das cordas é horizontal, enquanto no piano vertical ou armário a armação é vertical. O piano de cauda se destaca por ser bastante volumoso e pelo alto custo, sendo adequado para salas de concertos com boa acústica.

Os pianos possuem geralmente dois ou três pedais. O pedal da direita permite o prolongamento do som (possibilitando a execução da técnica de legato).

Quando uma nota do piano faz o martelo atingir simultaneamente três cordas, o pedal da esquerda (chamado de una corda) permite que o martelo atinja somente duas (produzindo um som mais suave). O nome original desse pedal “una corda” foi assim definido pois nos primeiros pianos o desvio do martelo permitia que apenas uma corda fosse tocada.

Já o pedal central, chamado de sostenuto, possibilita fazer vibrar livremente apenas a(s) nota(s) cujas teclas estão acionadas no momento do acionamento dos pedais. As notas que forem tocadas posteriormente ao acionamento desse pedal não irão soar livremente, tendo seu som interrompido quando pianista soltar as teclas. Esse pedal está presente majoritariamente nos pianos de cauda; muitos pianos verticais não possuem esse pedal.

O teclado eletrônico se diferencia do piano por permitir uma infinidade de efeitos e timbres diferentes, além das possibilidades de ajuste manual do volume e utilização de fones de ouvido. Por serem bem menores e compactos, os teclados também são mais versáteis do ponto de vista de transporte e manuseio, tendo utilização comum em bandas dos mais diversos estilos musicais. Porém, como já foi comentado, a sensibilidade e o “peso” das teclas do piano são diferenciados em relação ao teclado, assim como o seu timbre. Cabe a cada músico adequar suas preferências e condições financeiras ao instrumento que mais lhe agrada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Loading...