Escola

CLIQUE AQUI PARA VISITAR O NOSSO SITE OFICIAL

Endereço e contatos:

UNIDADE I - Rua. Tab. Eurydice de Barros Esteves, 156, Mangabeira I, João Pessoa, Paraíba 58055-450, Brasil

Contatos:
Oi (83)98740-2530 (WhatsApp)
Tim (83)99966-6875
Claro (83)99102-3221
Vivo (83)98101-7208

Sobre o fundador... Visite as redes sociais do Prof. Elvis Chaves...

E-mail: profelvischaves@yahoo.com.br
Blog
Site oficial
Facebook
Google+

YouTube

Use o GPS:


FAÇA SUA BUSCA NO BLOG AQUI

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Como aprender a tocar músicas no teclado?

Vamos simular uma situação. Você já conheceu o teclado, aprendeu a posicionar as mãos no teclado, já conhe-ce o layout do teclado, sabe encontrar as notas, talvez até já tenha aprendido a tocar uma ou outra melodia introdutó-ria, fez alguns exercícios de agilidade e coordenação, até pode já saber alguma teoria, algumas escalas e acordes, e agora pergunta-se…

Mas como é que aprendo a tocar músicas?
Afinal ninguém quer passar a vida a tocar exercícios e escalas musicais, não é verdade?
 
Isso vai depender muito do estilo musical que pretende tocar, o processo de aprender a tocar uma música pop não será o mesmo para aprender uma peça clássica. Visto que a música clássica é mais exigente, portanto, vamos nos concentrar nesta.

O que devemos saber?

Como devemos proceder para tocar uma música?

Em primeiro lugar, para aprender a tocar teclado, mais que na guitarra, é de extrema importância aprender a ler partituras. Este fator faz com que algumas pessoas desistam antes sequer de começarem ou que se desanimem, mas a verdade é que não há razão para isso.
Se você está a ler este texto é porque aprendeu a ler, e acredite, ler um texto é mais complexo que ler uma partitura, mas você simplesmente está habituado habituado e até parece ser fácil ler esse texto. Então, em primeiro lugar deve começar por aprender a ler partituras, o básico chega no início, basta conhecer as claves, armaduras de clave, as notas musicais, a pauta e o ritmo.

A Secreta linguagem da música.


Além deste conhecimento, deve estudar algumas bases de teoria musical, mais uma vez não se preocupe, não é algo tão complicado como podem lhe ter feito acreditar. Se gostar, até será bastante interessante. Deve buscar ter pelo menos o conhecimento de escalas musicais, isso é o mínimo dos mínimos. Pesquise, leia e revise assuntos relacio-nados à teoria musical para obter as bases necessárias. Uma vez que consiga ler partituras minimamente, deve escolher a música que quer aprender a tocar e obter a partitura de tal música ou deve seguir as orientações de um método escrito ou de um professor.

E agora, como aprender a tocar as notas dessa tal partitura no teclado?

Você não pode simplesmente olhar para a partitura e sair tocando (tudo bem, se for um virtuoso até pode, mas se está a ler este artigo talvez ainda não esteja nesse nível). O que fazemos então? Dividimos a peça pelas diversas fra-ses musicais e aprendemos cada frase em separado! Primeiro com uma mão, depois com a outra e por fim com ambas simultaneamente. Mas o que é uma frase musical? Repare que na nossa linguagem comum, nós pegamos palavras e formamos frases, não disparamos palavras aleatoriamente e indefinidamente. O mesmo acontece na música, os sons são agrupados tendo um início, meio e fim como numa frase verbal. Se tiver um professor que lhe dívida as frases de uma peça musical será mais fácil, mas você também o pode fazer e deve começar a treinar essa habilidade o quanto antes, para desenvolver a sua independência enquanto tecladista. Algumas peças têm frases mais facilmente identificá-veis.

Pronto, tudo divido em frases, como devemos proceder agora?


Primeiro vemos a pauta de uma só mão, por exemplo a direita (pauta da melodia com a clave de sol), e vamos praticá-la até termos decorado e toca-la com alguma facilidade. Depois passamos para a mão esquerda (observar as cifras dos acordes), estudamos a partitura, vemos as notas a ser tocadas, decoramos e treinamos. Neste processo tam-bém decidimos qual a melhor digitação, quais dedos vão tocar quais notas. Para decidir isso tem de pensar em: A sua mão deve fazer o mínimo de "viagem" possível, economizando movimentos, deve utilizar uma digitação que seja o mais confortável para possível para você. Aqui é muito importante ter um professor para ajudar, mas se não tiver, terá mesmo de estudar a melhor forma de o fazer você mesmo.

Quando já tiver feito estes procedimentos, está no momento certo de começar a treinar com ambas as mãos simul-taneamente, cada uma exercendo seu papel. Se você ainda não tem muita prática, isto vai ser bastante difícil no início, mas não desanime, se treinar com bastante calma e devagar notará progressos diariamente, mas tem de treinar bem concentrado. Depois é essencial que treine com o metrónomo ou ritmo, anote a velocidade que consegue tocar con-fortavelmente e gradualmente aumente a velocidade do metrónomo. Quando se sentir bastante confiante, já é mo-mento de passar para a próxima frase musical e repetir todo processo. Eventualmente já saberá as frases todas, e aí como o leitor deverá estar a adivinhar é será momento de juntar e tocar a peça toda. Nesta altura você irá encontrar as suas fraquezas, frases ou zonas da música que tem mais dificuldade ou falha com mais frequência. Ao identificar estas fraquezas, é só isolar tal parte e treiná-la com calma e individualmente. Por fim, acabará por ter mais uma música no seu repertório. Vamos então listar os processos para terminar:

Saber o essencial de leitura de partituras;
Saber o básico de teoria musical, mais precisamente escalas musicais;
Obter a partitura da música a aprender;
Dividir a peça pelas suas frases musicais;
Estudar cada frase e as digitações;
Treinar cada mão individualmente e depois ambas simultaneamente;
Aumentar a velocidade do metrónomo e avançar para a próxima frase quando já estiver a tocar confortavelmente a atual;
Por fim, tocar a música toda, encontrar as suas fraquezas e supera-las com ensaios específicos;
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Loading...