Escola

CLIQUE AQUI PARA VISITAR O NOSSO SITE OFICIAL

Endereço e contatos:

UNIDADE I - Rua. Tab. Eurydice de Barros Esteves, 156, Mangabeira I, João Pessoa, Paraíba 58055-450, Brasil

Contatos:
Oi (83)98740-2530 (WhatsApp)
Tim (83)99966-6875
Claro (83)99102-3221
Vivo (83)98101-7208

Sobre o fundador... Visite as redes sociais do Prof. Elvis Chaves...

E-mail: profelvischaves@yahoo.com.br
Blog
Site oficial
Facebook
Google+

YouTube

Use o GPS:


FAÇA SUA BUSCA NO BLOG AQUI

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Professor de Música.


Tocar um instrumento é fácil. Basta apertar a tecla certa. Tocar bem é que são elas. Exige muita dedicação, esforço, renúncias e sobretudo tempo. Bohumil Med

Quem são esses profissionais?


Segundo o site Wikipédia... Professor ou docente é uma pessoa que ensina ciência, arte, técnica ou outros conhecimentos. Para o exercício dessa profissão, requer-se qualificações acadêmicas e pedagógicas, para que consiga transmitir/ensinar a matéria de estudo da melhor forma possível ao aluno.
É uma das profissões mais importantes, tendo em vista que as demais, na sua maioria, dependem dela. Já Platão, na sua obra A República, alertava para a importância do papel do professor na formação do cidadão.

Ao longo da história, até mesmo sem perceber, os músicos se depararam com situações semelhantes a de um professor. Seja ele compositor, teórico, instrumentista e etc, um músico sempre tem um discípulo.

A música é uma arte e os músicos, os seus "profetas". Alguns poucos nascem prontos e precisam apenas se aperfeiçoar. A maioria, contudo, tem de ser moldada. Em qualquer dos casos, são indispensáveis orientações e ensinamentos por "profetas" mais antigos e experientes, chamados professores de música.

Enquanto professores de outras disciplinas costumam trabalhar com turmas de muitos alunos e durante um período letivo, o professor de música tem uma particularidade: acompanha e orienta individualmente seu aluno, na maioria das vezes por anos a fio, e não raro se tornam amigos pessoais.


Para aprender a tocar bem, é importante escolher um bom professor, experiente, dedicado, que tenha boa didática e psicologia. O professor vai indicar o método a ser adotado e a técnica a ser aplicada. A partir desse momento, é indispensável que o aluno confie nele e siga suas orientações. Quando o aluno sentir que assimilou tudo o que podia, está na hora de procurar orientador mais experiente ou instituição musical mais avançada.

A escolha do primeiro professor de música da criança quase sempre é tarefa dos pais e, geralmente, obedece a critério de ordem prática, porque nessa fase não existe preocupação com a qualidade. Os pais procuram a escola ou o professor mais próximo de sua casa ou mais em conta.

Muitas vezes, o desenvolvimento com a música ocorre sem a interferência dos pais. Influenciados por grupos famosos, jovens formam conjuntos ou bandas e, sem nenhum conhecimento musical, simplesmente começam a tocar.

Vários músicos iniciaram a carreira dessa maneira, mas só se tornaram conhecidos porque, ao perceberem que não bastava o entusiasmo, trataram de estudar com seriedade, sob a orientação de professores experientes.

Se tem intenção de se profissionalizar, o aluno deve procurar o melhor professor, mesmo que isso implique frequentes viagens ou até mudança de cidade. Aspectos práticos, como a proximidade e o preço, não deveriam pesar tanto. Sacrifícios pessoais e financeiros não podem ser poupados, já que o prioridade é garantir a melhor formação possível. É comum alunos viajarem centenas de quilômetros para ter ao menos uma aula com um mestre famoso.

Livros de auto-ajuda ensinam que, quanto mais alto for o objetivo, maior será a possibilidade de sucesso. Ainda que não se atinja a meta proposta, o fato de chegar perto representa uma vitória. Todo instrumentista deveria almejar ser um virtuoso ou pelo menos entrar para a Filarmônica de Berlin (uma das melhores do mundo). Assim, quem sabe, consiga aprovação em concurso para a Orquestra Sinfônica do seu estado. Quem sonho baixo acaba tocando no barzinho da esquina.

Realizado, o músico não deve se esquecer das pessoas que o ajudaram na sua caminhada, sobretudo seus professores, desde o primeiro, ainda na infância. Parte do sucesso deve ser creditada a eles. 

Algumas verdades sejam ditas...

1 - Isso é fundamental: Nem todo bom instrumentista é bom professor.

2 - Cuidado com os malas, os falsos professores, àqueles que ensinam por meio de macetes e dicas. Esses usam a desculpa de que o estudo da música é chato e enfadonho, que os livros usam uma linguagem inascível (De fato, mas só para analfabetos funcionais. Vá me desculpando, mas a música é uma das áreas do conhecimento humano mais abrangentes, estudar música e não se deparar com a erudição é impossível amigos) . Esses caras, esses professores não têm paciência para elaborar método e repertório didático e nem sabem esperar pela evolução do aluno (que costuma variar de um aluno para o outro), abandonam os alunos em seus estudos e utiliza recurso de vídeo com a desculpa de ser mais eficiente... blá blá blá.

3 - O olhar do professor sobre a execução prática ao instrumento é fundamental, pois possibilita a correção e consequente aplicação correta da técnica de instrumento. Isso não pode ser aprendido em livros ou videos... Mas é pessoal!

4 - Os autores clássicos da teoria musical e os compositores de referência, sejam eles clássicos ou populares, são fundamentais. Sempre que uma geração abandona a leitura dos clássicos e o conhecimento da nostalgia musical, nota-se uma decadência nas composições. Isso é terrível e com alto preço de reparação.

5 - A grande desculpa: Não quero ser profissional... Se isso já saiu da sua boca enquanto tentava resistir à leitura, conceito ou argumentação de um professor saiba que você está no caminho que beira a mediocridade.

6 - Simples assim... Não queira tocar Brasileirinho se você não consegue decorar as notas do Parabéns! É verdade que tocar músicas da nossa preferência nos dá uma melhor sensação, entre tando, boa parte dessas música não são indicados nos primeiros meses de aula. Uma coisa é fundamental nesse processo: entender, compreender e não decorar. Ler uma partitura requer domínio dos elementos básicos que compõem a notação musical, onde a participação da memória auditiva é importante e norteadora, porém, não é a fonte de notas.

Como tocar uma música que você nunca ouviu?

R. Aprendendo a ler partituras, do contrário você será sempre escravo da platéia e dos videos de notas caindo do Youtube... Isso é que é medíocre!

7 - Um professor de música é muito valioso. Pague bem ao seu professor de música, afinal, para realizar esse papel ele dedicou muito do seu tempo aos treinos, leitura e pesquisa. Ele se preparou para esse papel, ele depende da renda das aulas. O seu professor um dia foi aluno, e assim como você também teve dificuldades, contratou um professor e também achou que não iria conseguir.

8 - É normal desanimar, os erros constantes nos causam cansaço, preguiça e desânimo. Porém, os erros são fundamentais, fazem parte da nossa formação, e eles não representam um obstáculo, mas são como um farol sempre apontando onde estão as nossas falhas.

9 - A música é extremamente exigente, seletiva. Ela só se abre aos que realmente se entregam a ela sem pressa e murmuração.

10 - Os erros, ah os erros... Aprenda com eles, mude, improvise... Cresça com os erros, e crescer dói amigo. Mas aprenda e cresça com os seus erros, ou então, compre lenços, e se prepare para continuar sendo um bebe chorão, cuja única melodia que sairá de suas canções é o som causado pelas suas desculpas e mimos.

11 - Chato é você que reclama de tudo. Reclama da leitura, reclama da postura, reclama dos exercícios, reclama do repertório, reclama do professor... Ah, se toca meu, estudar é uma atividade que requer concentração e não diversão, se você não entender isso... Desista da música!

12 - Palco é uma consequência do seu aprendizado. Se você não costuma ensaiar e corrigir seus erros, fique longe dos palcos.

13 - O professor é cara...

14 - Se você apenas deseja ser superficial na música, decorar notas de uma melodia, decorar escalas ou fazer acordes sem compreender a estrutura dos mesmos... Ah, fala sério, o YouTube é a sua cara!

Baseado no texto do Prof. Bohumil Med



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Loading...