Escola

CLIQUE AQUI PARA VISITAR O NOSSO SITE OFICIAL

Endereço e contatos:

UNIDADE I - Rua. Tab. Eurydice de Barros Esteves, 156, Mangabeira I, João Pessoa, Paraíba 58055-450, Brasil

Contatos:
Oi (83)98740-2530 (WhatsApp)
Tim (83)99966-6875
Claro (83)99102-3221
Vivo (83)98101-7208

Sobre o fundador... Visite as redes sociais do Prof. Elvis Chaves...

E-mail: profelvischaves@yahoo.com.br
Blog
Site oficial
Facebook
Google+

YouTube

Use o GPS:


FAÇA SUA BUSCA NO BLOG AQUI

terça-feira, 28 de março de 2017

Lista de vozes - Yamaha PSR-550,






Lista de estilos - Yamaha PSR-550.


Dicas para aumentar sua criatividade na música.

Criatividade.

Conhecida basicamente como a capacidade de inovar e criar, a criatividade é bastante almejada por diferentes profissionais. E promove dentro de qualquer área de atuação diferenciais expressivos.

Quando se trata de música, a criatividade é ainda mais valiosa. Seja na hora de compor ou divulgar seu trabalho, ela é essencial na busca por um maior aprimoramento e crescimento profissional.

Que músico habilidoso não tem parte do seu renome atrelado ao potencial de improviso?

Ou mesmo a grande capacidade de composição?

Nos dois casos a raiz dessa habilidade está justamente nela: o exercício da criatividade.

Essa capacidade de manipular e realocar ideias, pensamentos ou conhecimentos de um novo modo, sob uma nova perspectiva, porém, não é restrita a poucas pessoas, ela nos acontece cotidianamente! Quer um exemplo?

Lembra daquela “sacada” que de repente te aconteceu e te fez terminar uma tarefa que demorava séculos de uma maneira muito mais rápida? Ou mesmo algum problema que parecia extremamente complicado de ser resolvido e outra pessoa te ofereceu uma solução num piscar de olhos?

Essas situações relatam basicamente nossa tendência natural a uma atitude padrão, com bloqueios mentais que vez ou outra são quebrados. Estamos tão acostumados a pensar, executar e agir de determinado modo que acabamos não percebendo as diversas possibilidades que nos rodeiam.

Mas como mudar isso então?

Como ser criativo?

Na verdade, a pergunta que mais nos importa agora….

Então, como ser um músico criativo?

Bom, essa “fórmula mágica” chamada pensamento criativo requer dedicação, ela não é tão simples de ser alcançada.

É fato que algumas pessoas possuem uma habilidade natural, uma espécie de “dom” que as permite inspiração rápida, mas mesmo assim isso não quer dizer que a criatividade não pode ser estimulada de diferentes maneiras.

No texto a seguir, estão elencadas cinco dicas fundamentais que irão te ajudar a treinar pouco a pouco dessa habilidade!

1. Conhecimento + Conhecimento = Criatividade

Lembra sobre a criatividade ser a habilidade de alocar e realocar conhecimentos de novas maneiras? Seguindo essa lógica é fácil concluir que quanto mais conhecimento você tiver mais potencial criativo ele te dará.

Antes de ser um músico criativo você precisa se tornar simplesmente um bom músico. Isso implica tanto um bom conhecimento téorico quanto prático.

Refine seu domínio em escalas, acordes, melodias, não se limite musicalmente e isso já será uma base sólida, em que poderá trabalhar. O segredo é escolher sua área de atuação e estuda-la da maior quantidade de ângulos possíveis

Afinal, como já apontado por Abraham Laboriel (link para post aqui), é bastante confortável estudar apenas alguns estilos, se empenhar naqueles que você tem bastante habilidade, mas sair da sua zona de conforto, literalmente buscar o entendimento em diferentes técnicas, conseguirá multiplicar suas habilidades e te dar versatilidade musical produtiva.

2. Inovação: processo de construção e desconstrução

O segundo ponto sobre ser um músico criativo implica um processo de tentativa e erro.
Você quer compor uma música ou desenvolver um arranjo de forma criativa? Precisará então testar o máximo de combinações e estilos.

Isso quer dizer dar uma chance mesmo aquelas que aparentemente não fazem sentido, ou parecem não se encaixar. A inovação é um processo continuo de construção e desconstrução, se você não explorar as possibilidades sem julgamentos nunca saberá o resultado que elas promoverão.

Utilize então as técnicas de rítmica, harmonia e contraponto sem medo, mescle seus recursos disponíveis e saia mais uma vez da obviedade.

3. Aplique suas ideias

Quer exercitar sua criatividade musical? Comece colocando no papel suas ideias e planos.

A dica parece ser óbvia, mas ser criativo implica não apenas ter um pensamento criativo apurado, mas também saber concretizar e adaptar da melhor maneira possível.

Muitas vezes desperdiçamos oportunidades incríveis apenas porque não nos permitimos um tempo de dedicação a ela. O tradicional “já pensei isso antes” diante de uma novidade anunciada por outra pessoa.

Teve uma inspiração vendo alguma trilha sonora, escutando algum arranjo musical? Não perca tempo! Tente por em pratica tão antes quanto puder e prossiga lapidando até estar satisfeito com o resultado.

4. Desfoque para focar

Desfoque para focar…. parece confuso?

Acontece que muitas vezes o que mais precisamos é uma mudança de ares, um momento descontração para arejar a mente.

Sob pressão dificilmente o pensamento criativo consegue ter vez, acabamos indo para as rotas tradicionais e permanecendo nas zonas seguras e conhecidas.

Para trabalhar a originalidade, experimente desenvolver alguma atividade diferente, que te promova entrar em um estado de espirito mais tranquilo. Será muito mais fácil aguçar seu lado musical se você não estiver estressado.

Além disso, exercitar o cérebro com atividades paralelas pode, ainda, promover novos tipos de inspiração, aumentando seu fluxo criativo.

5.Busque tutores e professores especializados

Embora fique mais fácil praticar sozinho com o tempo, e seja natural a muitos músicos optarem por seguirem aprimorando sua habilidade sem auxílio, ter um tutor ou professor pode auxiliar diretamente seu desenvolvimento criativo.


Isso porque a experiência adquirida por ele ao longo dos anos poderá lapidar suas ideias, e potencializar habilidades. Além disso, o processo de avaliação constante permitirá que você visualize melhor seu crescimento ao longo do tempo.

Dicas simples para ler partituras sem esforço.

As partituras são a linguagem universal da música. Não importa seu nível, você aprenderá mais rápido e poderá fazer muito mais, em termos musicais, se souber ler partituras. Podemos comparar essa notação musical à torre de babel, já que permite músicos de instrumentos totalmente diferentes se comunicarem como se fossem do “mesmo povo”.

Como instrumentista e professor, eu vejo de perto a dificuldade de músicos, até mesmo alguns bem estabelecidos, para dominar a notação musical.

Para ajudar, separei algumas dicas para facilitar sua vida. Elas funcionam se você costuma estudar partituras impressas ou através de algum programa.

Diminua a carga cognitiva: Separe em partes 

Na ciência do aprendizado, uma das maiores preocupações dos pedagogos de qualquer disciplina é reduzir a demanda cognitiva sobre os estudantes.

Você pode pensar seu cérebro como uma estrada, onde só passa um certo limite de carros. Se o assunto é novo, ele vai ocupar várias vias da estrada. Quanto mais você domina o tema, menos demanda ele gera.

Os autores de livros pensam bastante nisso na hora de estruturar o conteúdo. Os professores também são ensinados a respeito para ajudar na sala de aula.

No seu caso, como está estudando só (imagino!), você precisa gerenciar isso por conta própria. Afinal de contas, sobrecarga cognitiva vai gerar aquela sensação de “para tudo, eu não estou entendendo nada”.

No estudo de partituras, uma forma pela qual as pessoas geram essa sobrecarga é começando partituras completas.

Se você ainda não está confortável com a leitura, evite partituras inteiras - é informação demais e irá atrapalhar o que você sabe.

Faça uso de partituras dedicadas a seu instrumento, é provável que haja milhares para você (já viu a coletânea que preparamos?). Ou separe o documento por partes, se não achar apenas seu instrumento (programas como o Finale, Sibelius, Musescore e o Encore fazem isso em segundos). 

Use um método de leitura: A estratégia do papel higiênico

Uma das dificuldades da leitura de partituras é a falta de referência visual. Ou melhor, nosso costume de ler textos normais faz com que tenhamos a referência errada. Deixe-me explicar.



No texto normal, lemos da esquerda para direita. Há várias “âncoras” visuais inconscientes que usamos para identificar onde começar a leitura (espaçamento para título, entre parágrafos, margens, etc).

Para partituras, essas âncoras visuais não funcionam perfeitamente. É preciso readaptar.

É por isso que o primeiro efeito ao começar a leitura é se sentir um pouco desorientado: estamos usando, inconscientemente, estratégias erradas!

É aqui que entra a estratégia do rolo de papel higiênico. Ela é bem simples.

Quando estiver lendo uma partitura, você vai processar todas as informações verticalmente dentro da mesma seção. Se você usou nossa dica #1, haverá apenas um instrumento por vez, o que facilitará as coisas.

Na partitura, ficará mais ou menos assim:

Praticar conexão auditiva-visual: Exercícios para memorizar notas

Embora pareça bastante desafiador nos primeiros dias, a leitura de partituras depende bastante do seu grau de dedicação ao exercício.

Dessa forma, essas dicas então são estratégias facilitadoras, mas que funcionarão ainda melhor com a prática constante.

O segredo é persistir!

sábado, 25 de março de 2017

Lista de estilos - Yamaha PSR-540.


Lista de vozes - Yamaha PSR-540.






Lista de vozes - Yamaha PSR-530.






Lista de vozes - Yamaha PSR-520.





Lista de vozes - Roland Revas - KB-330.




Lista de estilos - Roland Revas KB-330.


sexta-feira, 17 de março de 2017

Quero ver você feliz.





quarta-feira, 15 de março de 2017

Lista de estilos - Yamaha PSR-510.




Lista de vozes - Yamaha PSR-510.


quinta-feira, 9 de março de 2017

Lista de estilos - Yamaha PSR-410.



Lista de vozes - Yamaha PSR-410.


El bimbo.





Loading...